A presença de elementos míticos na filosofia de Empédocles

Nayra Sousa Barros, Rafael César Pitt

Resumo


O tema do presente artigo é a presença de elementos míticos na obra do pré-socrático Empédocles de Agrigento. O problema que nos dispomos a abordar é discutir a possibilidade de haver uma noção filosófica que tenha ao mesmo tempo significado mitológico e filosófico. Os objetivos foram num primeiro momento resgatar a figura do aedo a fim de mostrar a persistência de formas poéticas antigas na nascente filosofia. Em seguida, comparamos a teogonia de Hesíodo com a cosmologia empedocleana de forma a destacar a estrutura narrativa subjacente, isto é, o jogo de forças cósmicas personalizadas, assim como a concepção mítica da Idade de Ouro. E por fim discutimos os pontos de interseção entre práticas purificadoras presentes na poesia do agrigentino e preceitos religiosos derivados da tradição órfica. Nossa metodologia foi essencialmente bibliográfica ao apresentar vários estudiosos sobre os temas escolhidos. Nossos resultados indicam que a noção de daimon perpassa as três fontes referidas (Hesíodo, Empédocles e orfismo), de modo que sua abrangência elástica dialoga tanto com o mito quanto com a filosofia e a poesia. Concluímos que Empédocles inspirou-se nas antigas poesias hesiódicas e práticas órficas para realização e formação do seu pensamento apresentando, pois, alguns elementos míticos em sua filosofia.


Palavras-chave


Empédocles; Mito; Filosofia

Texto completo:

PDF Português

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Investigação Filosófica

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.