Hannah Arendt e o espaço público como possibilidade de se pensar a emancipação política das mulheres a partir da figura de Rosa Luxemburgo

Jessica Thainá Ribeiro Viana

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar a figura de Rosa Luxemburgo (1871-1919) como exemplo de ascensão das mulheres ao espaço público tal qual descrito por Hannah Arendt (1906-1975), e refletir sobre os motivos que permitiram seu negligenciamento histórico. Tendo em vista que apesar de ter tido grandes contribuições teóricas e práticas e ter ascendido ao espaço público, ainda assim Rosa Luxemburgo fora negligenciada, estereotipada por meio da figura ora sanguinária, ora romantizada, e por esses motivos Arendt acredita que a política alemã não obteve o reconhecimento devido que mereceria nem em vida e nem em morte. Para tanto, utilizaremos a distinção entre espaço público e espaço privado de Arendt, presente na obra A condição humana (1958), bem como seu ensaio intitulado “Rosa Luxemburgo: 1871-1919”, presente na obra Homens em tempos sombrios (1968) e a obra Rosa Luxemburgo ou o Preço da Liberdade (2008) de Jörn Schütrumpf. Por fim, corroboramos com Hannah Arendt e trazemos também Jörn Schütrumpf  para reafirmar que apesar de ter ocorrido uma pequena mudança em sua reputação, e algumas pessoas até saberem o nome de Rosa Luxemburgo, diante de sua grande contribuição teórica e prática seu reconhecimento acadêmico e político ainda é insuficiente, e acreditamos ainda ser possível um reconhecimento ainda que tardio da importância da figura de Rosa Luxemburgo para o pensamento teórico/filosófico político contemporâneo.

Palavras-chave


Hannah Arendt; Rosa Luxemburgo; negligenciamento histórico

Texto completo:

PDF Português

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Investigação Filosófica

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.