PISTAS PARA A PERFORMATIVIDADE NO ESPECTADOR

Cristóvão de Oliveira Carraro

Resumo


Buscando levantar alguns pressupostos que contribuam para identificar aspectos performativos no espectador, este artigo faz um sobrevoo sobre as noções de simulação e simulacro apresentadas por Schechner (2013), conduzindo a determinadas pistas que se cruzam com exemplos que circunscrevem comportamentos e experiências que ajudam a elaborar algumas reflexões inerentes à representação da vida e à experiência do real. A desconstrução do real e seus deslocamentos para uma instância artística tem sido verificada com mais relevo nas últimas décadas, mas é um caminho que vem sendo trilhado há mais tempo e continua a evoluir. Nesta seara, a aproximação com o real e a representação da realidade forjam um binômio que ressalta procedimentos performativos aplicados à cena teatral contemporânea. Passando por conceitos como Arte Relacional (Bourriaud, 2011; 2009), Performatividade (Féral, 2015; Schechner, 2013) e o teatro como experiência pública (Fernandes, 2018; 2013), a discussão encerra com a descrição de um projeto de montagem em andamento que revisita inúmeras das camadas aqui dispostas.

Palavras-Chave: Arte Relacional; Cena Performativa; Experiência; Processos Criativos; Poética da Cena.


Texto completo:

Português PDF


Direitos autorais 2021 IAÇÁ: Artes da Cena

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.