VIVÊNCIA, MEMÓRIA E EXPERIÊNCIA DO INOMINÁVEL

Jordana Mascarenhas de Oliveira, Alice Stefania Curi

Resumo


O artigo aborda a criação de Inominável, obra cênica gestada e apresentada em espaços não convencionais para o teatro, e que propõe uma experiência de fruição singularizada: uma única espectadora/espectador para cada cena, atuada por uma atriz/ator. Cada um desses encontros únicos cria um ambiente de intimidade e um tom confessional com potencial para redimensionar as dramaturgias das cenas, pensadas como “programas”, passíveis de contaminação e transformação no encontro com o público. O processo de criação das doze ações performativas que compõem a obra perpassou o campo de singularidades das doze atrizes/atores, por meio de vivências que mobilizaram seus afetos e mitologias pessoais. Trabalhou-se inicialmente a partir de três ideias-motrizes: memória, vivência e experiência. Estas foram sendo, nos fluxos dos processos de criação e reflexão, relacionadas respectivamente aos campos mítico, poético e ético das atrizes/atores, e ainda articuladas às dimensões de temporalidade, espacialidade e dos encontros.


Texto completo:

Português PDF


Direitos autorais 2021 IAÇÁ: Artes da Cena

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.