“Quando o Governo Federal desapropriou as terras, essas comunidades já existiam, os moradores também já existiam...”: tensões no processo de Reforma Agrária em Vila Amazônia (Parintins/AM)

Mônica Xavier de Medeiros

Resumo


Este artigo analisa o processo de Reforma Agrária em Vila Amazônia (Parintins/AM) que ocorreu no ano de 1989 no contexto do I Plano Nacional de Reforma Agrária elaborado pelo governo Sarney. Evidenciamos as tensões tanto do projeto de Reforma Agrária do primeiro governo civil pós ditadura civil-militar, quanto da desapropriação de terras tradicionais no Amazonas que já eram habitadas por ribeirinhos e trabalhadores rurais. As fontes históricas que embasaram o estudo foram os periódicos como o Jornal do Comércio, A Crítica, Amazonas em Tempo e o jornal Novo Horizonte. Além disso, foram realizadas entrevistas com trabalhadores rurais de Vila Amazônia para entender como estes interpretaram o reordenamento territorial conduzido pelo INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). Por fim, discutimos a forma de territorialidade de populações tradicionais no Amazonas que demandam outras formatações para as políticas de Reforma Agrária, que não se limite ao loteamento individual e que considere suas práticas sociais e culturais.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2022 FRONTEIRAS & DEBATES

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.