A busca cotidiana de Solange: pornochanchadas, hegemonia e erotismo em A Dama do Lotação

Guilherme Fumeo Almeida, Pablo Nabarrete Bastos

Resumo


Este artigo busca dar início, em duas partes, a uma discussão sobre a forma como a pornochanchada investiu em uma determinada construção do erotismo, tanto a partir do estudo das suas especificidades como gênero cinematográfico brasileiro quanto de uma análise mais detida de A Dama do Lotação, em diálogo com uma base teórica centralizada nos conceitos de indústria cultural e hegemonia. Tal construção volta-se principalmente à sexualização da mulher, dentro da representação das relações interpessoais no cotidiano de um período socialmente conservador e politicamente autoritário. Na primeira parte, a base teórica será elaborada em paralelo à análise inicial de A Dama do Lotação e à discussão dos limites e das características da pornochanchada. Na segunda, as considerações de Williams (1969, 1979, 2005) sobre a noção de hegemonia no âmbito da teoria cultural marxista serão relacionadas à compreensão mais detalhada das construções sobre erotismo no filme.

Palavras-chave: Pornochanchada; A Dama do Lotação; Hegemonia.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2021 FRONTEIRAS & DEBATES

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.