Escravidão e ensino de história: uma proposta de análise à luz do Plano Nacional do Livro Didático de 2017

Carlo Guimarães Monti, Karine Barbosa da Silva

Resumo


Este artigo busca compreender e averiguar como a temática escravista vem sendo tratada nos livros didáticos de história, correspondentes ao 7° e 8° ano do Ensino Fundamental, aprovados no último Guia do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), através da metodologia da Análise de Conteúdo. São discutidos aspectos diversos acerca das políticas que cercam o material, a fim de perceber se as mudanças incitadas pelas leis 10.639/03 e 11.645/08 tem surtido efeito para a revisão de qualquer conteúdo que possa ser tomado como racista ou preconceituoso no ambiente escolar brasileiro. Após o complexo trabalho de análise qualitativa dessas obras, constatou-se, por conseguinte, a existência de permanências significativas no que cerne à veiculação de estereótipos relacionados aos escravizados e aos afrodescendentes, o que acaba regularizando e fomentando diversas atitudes racistas que tanto ocorre na nossa sociedade.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.