Escola como disputa: juventude e cultura escolar em contextos de ocupação (Rio de Janeiro/2016)

Alessandra Nicodemos, Ana Carolina Oliveira Alves, Henrique Dias Sobral Silva

Resumo


As ocupações de escolas públicas no Rio de Janeiro ocorreram no ano de 2016 e empreenderam um novo processo de entendimento dos jovens a respeito da escola e de sua estrutura de organização e direção. Com o objetivo de mapearmos as formas de aproximação entre cultura juvenil e cultura escolar e, ainda, os sentidos de origem dos ocupantes, recorremos às metodologias dos grupos focais e à revisão bibliográfica da literatura especializada, cotejando-as na busca de um entendimento mais plural das referidas ocupações considerando, principalmente, os projetos e as vozes dos estudantes envolvidos. A conclusão é que as ocupações foram, antes de tudo, um momento de tensão entre a cultura juvenil e a cultura escolar, alimentando-se e negando-se ao longo desse processo. Avaliamos, além disso, que as análises acadêmicas acerca do fenômeno devem reforçar as problematizações a partir de categorias internas ao movimento que, longe de fragilizá-lo, sublinham suas especificidades.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/fronteiras.2020v7n2.p09-25

Direitos autorais 2021 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.