A “maior favela fluvial do mundo” nos materiais didáticos de História do Amapá: o ensino da história local do Município Laranjal do Jari (Amazônia Brasileira)

Marília Pantoja do Nascimento, Andrius Estevam Noronha

Resumo


O município de Laranjal do Jari, o terceiro maior município do estado do Amapá (IBGE: 2016), localizado cerca de 265km da capital, Macapá, frequentemente é estereotipado como “a maior favela fluvial do mundo”. Este discurso é reforçado nos principais materiais didáticos destinado ao ensino de História do Amapá publicados nesta última década como Amapá: vivendo nossa história (2008), escrito por Marcelo André Soares e Maria Emília Brito Rodrigues e História do Amapá: o passado é o espelho do presente (2009), escrito por Paulo Dias Morais. O objetivo deste artigo consiste em problematizar as narrativas referentes formação de Laranjal do Jari nestes materiais didáticos. A partir das problematizações, a relevância deste artigo consiste em contribuir com as reflexões sobre as possibilidades dos usos destes materiais para o ensino de história local.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/fronteiras.2018v5n1.p149-171

Direitos autorais 2018 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.