O advento do movimento escoteiro no Território Federal do Amapá: uma política de educação extraescolar (1945-1947)

João de Deus Santos de Sampaio, Regina Lúcia da Silva Nascimento

Resumo


O Movimento Escoteiro (ME) trata-se de um modelo político de educação extraescolar introduzido no Brasil a partir de 1910. Diante disso, este estudo faz uma reflexão sobre a história do Escotismo no País, com foco no processo de implantação e consolidação do ME no então Território Federal do Amapá (TFA), situado no extremo Norte da Amazônia brasileira. Seu objetivo é analisar o surgimento de Grupos Escoteiros no TFA, de 1945 a 1947. De natureza qualitativa, tipo documental e bibliográfica, a pesquisa baseou-se nas seguintes fontes: livros, regulamentos/decreto de lei do ME, Relatório de Governo do TFA, Jornal Amapá e fotografias da época. Tais fontes foram analisadas à luz da História Cultural. Inicialmente, foi feito um breve histórico sobre o Escotismo e sua origem no Brasil, destacando o precursor do ME no mundo: Baden-Powell. Em seguida, propomos uma abordagem do Escotismo como política de educação não formal/extraescolar no Brasil, enfatizando sua legitimação no país e os ideais do movimento escoteiro. E por fim, apresentaremos a história do Escotismo no TFA (1945-1947). A pesquisa permitiu compreender que apesar de levarem demasiado tempo para se efetivarem no Amapá, os Grupos Escoteiros se constituíram como referências em educação extraescolar durante o Governo de Janary Gentil Nunes. Pois contribuíam com os interesses do governador, ao difundirem por meio de seus ideais, mecanismos de controle, disciplina, higiene, ordem, amor à pátria, indispensáveis à manutenção do Governo no Território.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/fronteiras.2018v5n1.p39-58

Direitos autorais 2018 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.