A influência da Igreja no casamento entre Beatriz de Castela e o príncipe Afonso: poder, política e religiosidade

Priscila Cardoso Silva

Resumo


O artigo tem como propósito central prestar contribuições às questões de poder relativas ao período da Baixa Idade Média, evocando a imagem de Beatriz de Castela, uma rainha pouco conhecida nas historiografias lusitana e, especialmente, brasileira. Ao tomar como fonte a Crônica de D. Dinis, elaborada entre o final do século XV e o início do século XVI por Rui de Pina, este trabalho analisa um discurso de exaltação régia que possui como narrativa principal o reinado do sogro da castelhana, o rei D. Dinis de Portugal, situado historicamente entre a segunda metade do século XIII e as primeiras décadas do século XIV. Buscando focar na representação do casamento entre Beatriz e Afonso, construída pelo cronista durante o desenvolvimento de suas obras e também marcada por sua influência cristã na historiografia, o artigo pretende, então, ajudar a compreender qual imagem de matrimônio real se desejava, no período em que escrevia o autor, que permanecesse na memória dos portugueses.
Palavras-chave: Portugal; Idade Média; Crônica de D. Dinis; Beatriz de Castela; Matrimônio.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/fronteiras.2017v4n2.p37-59

Direitos autorais 2018 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.