Anarquia em Sicília – uma revolta de escravos na Siracusa Antiga 491/490 A.C.

Moritz Herrmann

Resumo


No ano 491 ou 490 a.C. o demos de Siracusa, uma das principais cidades gregas na parte oriental da ilha de Sicília, se alia aos kyllyrioi, uma população agrária escravizada, expulsando a aristocracia escravocrata e latifundiária dos gamoroi da cidade. Segue-se o que Aristóteles chama de um estado de anarquia, que é somente terminado com a ascensão da tirania de Gelão, que cria uma nova ordem política em Siracusa. Este artigo pretende examinar a relevância da análise de classes para o entendimento destes eventos, ponderando assim também a relevância da categoria para a história da antiguidade em geral. Adicionalmente, se tenciona mostrar, como classe e trabalho na Sicília antiga estavam vinculados a  relações espaciais, criando assim uma situação de fronteira que moldou a forma das lutas político-sociais sicilianas no 5º século a.C.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/fronteiras.2016v3n2.p05-23

Direitos autorais 2017 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.