A migração internacional nos quadros da cooperação transfronteiriça franco-brasileira

Carmentilla das Chagas Martins

Resumo


O objetivo deste texto é refletir sobre questões relativas às migrações internacionais em uma região particular do território brasileiro, qual seja: as zonas fronteiriças. A suposição é de que inserção da perspectiva local sobre as configurações delineadas pelos processos de institucionalização de cooperação transfronteiriça tem muito a contribuir para com a explicação e entendimento acerca as migrações internacionais. A ideia é chamar atenção, em primeiro lugar, para o que seria o processo da migração internacional nas zonas de fronteira e, em segundo lugar, para os atores envolvidos com esses deslocamentos, tanto aqueles ligados as instituições federais que têm por competência o governo desses lugares, como para os agentes locais, ou seja, pessoas cujo cotidiano é muito caracterizado por essa dinâmica migratória. O texto almeja colocar em foco a postura teórica e metodológica dos sociólogos contemporâneos ao se depararem com problemáticas desencadeadas por essa modalidade de acordo internacional. Isso decorre da percepção de que a cooperação transfronteiriça teve impacto nas práticas e identidades sociais, bem como acabou por impor o imperativo de adaptação das regras coletivas. A análise destaca os caracteres da migração transfronteiriça no âmbito das relações internacionais franco-brasileiras na fronteira Guiana Francesa-Amapá. Nesse intento apresentar-se-ão as informações coletadas nos documentos, na pesquisa de campo e na bibliografia pertinente.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/fronteiras.2016v3n1.p37-66

Direitos autorais 2017 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.