Aldeias indígenas no Rio de Janeiro colonial: espaços de ressocialização e de reconstrução identitária e cultural

Maria Regina Celestino de Almeida

Resumo


Sem negar a violência da colonização sobre os povos indígenas, este artigo analisa o papel dos índios integrados à sociedade colonial do Rio de Janeiro, entendendo-os como sujeitos históricos que foram capazes de rearticularam-se social e culturalmente com outros grupos étnicos e sociais, assumindo a nova identidade que lhes havia sido dada ou imposta pelos colonizadores: a de índios aldeados, súditos cristão de Sua Majestade. Insere-se numa linha de pesquisa interdisciplinar que partindo da concepção de cultura e identidade históricas tem repensado as relações de contato entre índios e colonizadores, enfocando a inestimável contribuição de John Monteiro. A partir dessa perspectiva, o artigo enfatiza o papel das aldeias como espaço que, além de português e cristão foi também dos índios, no qual compartilhavam novas experiências com outros grupos étnicos e sociais, agindo politicamente para garantir alguns direitos que a lei lhes garantia. Nesse processo, reelaboraram suas culturas, histórias e identidades

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2016 Fronteiras & Debates

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.