CONHECIMENTO TRADICIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS NA COMUNIDADE RIBEIRINHA DO IGARAPÉ BANHA NO MUNICÍPIO DE MAZAGÃO - AMAPÁ, AMAZÔNIA BRASILEIRA

Mauricio José Cordeiro Souza, Samara Lutyelle Xavier Lobato, Rubens Alex de Oliveira Menezes

Resumo


Este estudo objetivou descrever o conhecimento popular de plantas medicinais empregadas pelos moradores ribeirinhos da comunidade do Igarapé Banha, em Mazagão no Amapá, região Amazônica brasileira. Trata-se de um estudo descritivo e exploratório com abordagem quanti-qualitativa, elaborado a partir de entrevistas semiestruturada, sendo incluídas 100 pessoas no período de outubro a dezembro de 2017. Do total de entrevistados, 96% (96/100) consideram que possuem conhecimento para usar adequadamente as plantas no tratamento de saúde e 84% (84/100) disseram ter recebido esse conhecimento através de seus pais. Quanto ao uso das plantas para tratamento de saúde 71% (71/100) confirmaram seu uso, 55% (55/100) consideram que as plantas possuem um efeito melhor do que os medicamentos industrializados, 92% (92/100) confia e fica satisfeita com os resultados alcançados e 98% referiram que não conhecem nenhum efeito, reação ou contraindicação do uso de plantas medicinais. Conclui-se que é notável o uso das plantas medicinais neste estudo, sendo uma herança cultural ao tratamento terapêutico de diversas doenças associado aos conhecimentos empíricos e crenças indígenas e caboclas. A sua utilização trata-se de uma alternativa barata, eficaz e de fácil acesso, além de ser uma prática aceita pelo Sistema Único de Saúde.


Palavras-chave


Etnobotânica; Fitoterapia; Medicamentos; Autocuidado; Saúde; Visita domiciliar.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2019 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.