A MATERIALIDADE DOS DISCURSOS SOBRE A PESSOA COM DEFICIÊNCIA FÍSICA NEUROMOTORA/PARALISIA CEREBRAL

Claudovil Barroso de Almeida Júnior

Resumo


Historicamente, a pessoa com deficiência física neuromotora/paralisia cerebral ao nascer carrega simbolicamente conceitos que lhes são atribuídos em razão desta não corresponder às expectativas sociais. Dessa maneira, tendo o anseio de observar como os mesmos se materializam, o estudo tem como objetivo analisar as concepções presentes nos discursos sobre a pessoa com deficiência física neuromotora/paralisia cerebral em produções artísticas, como também acadêmicas. Metodologicamente, utilizou-se a pesquisa exploratória de carácter qualitativo, com a investigação de trabalhos que dialogam com a temática em evidência. Quanto aos resultados, observa-se que a materialidade dos discursos sobre a pessoa com deficiência física neuromotora/paralisia cerebral se encontra em um território que subverte esse sujeito, reforçando uma anormalidade produzida ideologicamente, com a finalidade de moldá-lo para ser “aceito” socialmente. Logo, é necessário que as concepções superem a visão mecanicista sobre essa pessoa, com respeito às diferenças, colaborando para o seu empoderamento como interlocutora de resistências e lutas contra sua exclusão no contexto social.



Direitos autorais 2019 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.