Comparabilidade de corpora díspares em Antroponomástica Comparada

Márcia Sipavicius Seide

Resumo


O objetivo deste artigo é verificar se há suficiente convergência de resultados de amostras de nomes de tamanhos diferentes para que possam ser utilizados em pesquisas de Antroponomástica Comparada. Para tanto, o comportamento de um conjunto de dezessete antropônimos em duas amostras de um mesmo universo formado pela população do Município paranaense de Marechal Cândido Rondon foi comparado. Enquanto a primeira foi constituída pelos cem primeiros nomes dos recém-nascidos registrados em cinco anos (1960, 1970, 1980, 1990 e 2000) totalizando 500 nomes, a segunda corresponde aos dados do IBGE relativos aos nomes dos residentes no Município por década de nascimento dos mesmos. Não obstante a diferença existente entre as amostras, a convergência de resultados legitima o uso de corpora díspares para análise comparativa de tendências gerais desde que sejam feitas ressalvas quanto à datação precisa de início e fim dessas tendências.


Palavras-chave


Onomástica; Pesquisa quantitativa; Metodologia

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/estcien.2017v7n3.p83-93

Direitos autorais 2017 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.