Estaleiros Artesanais: homens e barcos na construção de uma economia das águas.

Laércio Gomes Rodrigues

Resumo


Este estudo discorre sobre o trabalho desenvolvido por mestres artesãos nos estaleiros artesanais no município de Santana-AP. Tem-se na atividade produtiva mais do que valor econômico, abarcando o espaço do simbólico. Contextualizam-se as mudanças ocorridas a partir da década de 1940 no Amapá, toma-se o município de Santana como palco dessas modificações de onde se conclui que o novo anunciado por um tempo Moderno, se encontra com um tempo Pretérito, surgindo espaços híbridos, como os estaleiros artesanais. Expõem-se os dados da pesquisa de campo: número de embarcações registradas na Capitania dos Portos do Amapá, território produtivo, perfil dos artesãos. Conclui-se que o os estaleiros artesanais e o saber dos mestres artesãos devem ser associados ao saber científico de tal maneira que uma nova realidade surja.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2011 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.