Fasciola hepatica: ecologia e trajetória histórico-geográfica pelo Brasil

Darlan Morais Oliveira, Patrícia Oliveira Resende

Resumo


Este trabalho objetivou sintetizar a partir de uma revisão bibliográfica todo percurso histórico e geográfico da Fasciola hepatica pelo Brasil, correlacionando fatos com seu ciclo de vida. A literatura consultada revela que F. hepatica é um parasita que necessita obrigatoriamente de dois hospedeiros para completar seu ciclo de vida: o caramujo Lymnaea, hospedeiro intermediário, e o hospedeiro definitivo, que pode ser de diversas espécies de vertebrados, inclusive o homem. Com tantos hospedeiros, o parasita vem sendo continuamente transportado para ambientes com temperatura moderadas e disponibilidade de água, favoráveis ao seu desenvolvimento. Sua história no Brasil inicia-se em 1918, na região Sul. Nas décadas seguintes, esse trematódeo se expandiu geograficamente até alcançar a região Norte. Logo, conclui-se que há perspectivas da F. hepatica atingir todo o território brasileiro nos próximos anos.

Palavras-chave


Fasciolose; Hospedeiro; Lymnaea

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/estcien.2017v7n2.p09-19

Direitos autorais 2017 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.