Caracterização epidemiológica de pacientes hipertensos usuários de uma unidade básica de saúde da região Norte

Jéssica Andréa Silva das Chagas, Ariely Nunes Ferreira de Almeida

Resumo


Objetivo: Caracterizar quanto ao perfil epidemiológico os hipertensos usuários da Unidade Básica de Saúde da UNIFAP. Métodos: Pesquisa descritiva e transversal, na qual foi utilizado um questionário para registro de dados sócio demográficos e clínicos, através de fontes secundárias. Resultados alcançados: Dos 49 hipertensos, a maioria era do sexo feminino, entre 43 e 53 anos, casada, com escolaridade até o ensino fundamental incompleto e renda de 1 a 2 salários mínimos. Quanto às características clínicas, a maioria tinha de 1 a 5 anos de diagnóstico e o fator de risco predominante foi a antecedência familiar, seguido de sedentarismo, estresse e obesidade. Entre as complicações da doença, o Acidente Isquêmico Transitório foi o mais relatado. 75,5% faziam uso de medicação, sendo o principal medicamento a Losartana. Apenas 10,2% praticavam exercícios e 36,7% faziam dieta balanceada. A maioria apresentou Hipertensão Estágio I (32,7%) e Obesidade I (28,6%). Conclusão: Há necessidade de se enfatizar o tratamento da hipertensão em suas esferas nutricional, medicamentosa e na prática de atividades físicas, devido à incidência significativa de obesidade. Observa-se também a importância da equipe multidisciplinar e de se considerar os fatores sócio demográficos e clínicos ao realizar a promoção da saúde e o tratamento dos pacientes.

Palavras - chave: Hipertensão. Perfil epidemiológico. Epidemiologia descritiva. Promoção da saúde.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/estcien.2016v6n2.p105-116

Direitos autorais 2016 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.