Fetichismos da carne: consumismo midiático no capitalismo contemporâneo

Rodrigo Diaz de Vivar y Soler

Resumo


Este artigo procura apresentar os resultados de uma pesquisa realizada junto a estudantes de uma instituição superior de ensino localizada no interior do estado de Santa Catarina em que buscou-se observar através de entrevistas abertas e semiestruturadas como esse estudantes são afetadas pelo consumismo midiático, sobretudo a partir da noção de fetichismo inscrita dentro do pensamento do intelectual alemão Walter Benjamin. A partir da elaboração de sete categorias que envolviam a opinião dos entrevistados sobre as propagandas assistidas por eles, os seus produtos de consumo, a sua relação com a Internet, a representação da juventude nas grandes produções midiáticas, o seu conhecimento acerca do consumo sustentável e a opinião acerca das propagandas de cervejas e de bancos percebe-se que o fetichismo  é importante produtor de modos de subjetivação orquestrados em modos de governamentalidades responsáveis por fazer do consumo a única forma de existência possível na nossa sociedade.   


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/estcien.2016v6n2.p53-65

Direitos autorais 2016 Estação Científica (UNIFAP)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.