EFEITOS DA SUBSTÂNCIA DE ALARME NO TESTE CLARO/ESCURO NO ZEBRAFISH, Danio rerio

Bruno de Matos Mansur, Bruno Rodrigues dos Santos, Amauri Gouveia jr

Resumo


O Zebrafish é um animal experimental que tem se mostrado útil em várias áreas de pesquisa do comportamento, incluindo estados afetivos relacionados ao estresse. A substância de alarme é conhecida por eliciar respostas de estresse, sendo portanto uma ferramenta para investigar as bases biológicas do medo. O teste claro escuro, por sua vez, é a ferramenta para investigar o papel da substância de alarme como sinalizador de comportamentos de ansiedade, alterando o padrão de preferência claro/escuro. Foram utilizados 21 animais adultos, experimentalmente ingênuos, da espécie Danio rerio e sexo indeterminado, divididos em três grupos de sete: grupo controle; tratamento agudo e tratamento crônico. No grupo crônico houve administração de substância de alarme durante 10 dias; no grupo agudo, a solução conteve substância de alarme somente no décimo dia. O teste Claro/Escuro foi aplicado antes e depois da exposição dos animais ao tratamento. O teste claro escuro não detectou mudanças nos comportamentos de permanência no lado claro, alternância e latência nos sujeitos da espécie Danio rerio expostos aguda e cronicamente à substância de alarme. Contudo, a análise gráfica aponta que a substância de alarme altera os padrões de preferência claro/escuro, havendo aumento da ansiedade nos grupos agudo e crônico, principalmente no grupo crônico.

Palavras-chave: comportamento, ansiedade, estresse, reação de alarme.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v4n1p87-93

Direitos autorais 2014 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.