INFLUÊNCIA DA ALIMENTAÇÃO NA TAXA DE SOBREVIVÊNCIA E DESENVOLVIMENTO DE Notodiaptomus cearensis WRIGHT, 1936 (CRUSTACEA: COPEPODA) E Physiocypria schubarti FARKAS, 1958 (CRUSTACEA: OSTRACODA)

Fabiana Rodrigues de Arruda Câmara, Emilly Kataline Rodrigues Pessoa, Leila Laise Souza Santos, Odete Rocha, Sathyabama Chellappa, Naithirithi Tiruvenkatachary Chellappa

Resumo


Os grupos zooplanctônico Copepoda e Ostracoda são constituídos por espécies que apresentam dominância em ecossistemas eutrofizados. O presente estudo baseado em ensaios experimentais teve como objetivo testar a sobrevivência, crescimento e desenvolvimento das espécies Notodiaptomus cearensis Wright, 1936 (Crustacea: Copepoda Calanoida) e Physiocypria schubarti Farkas, 1958 (Crustacea: Ostracoda) e interpretar a respeito das relações existentes entre Copepoda e Ostracoda. Dois testes experimentais foram realizados, utilizando a água bruta do reservatório Armando Ribeiro Gonçalves (ARG), Assú, Rio Grande do Norte. Para o primeiro ensaio, a espécie Ceriodaphnia dubia foi utilizada como organismo-teste a fim de verificar sua tolerância à toxicidade presumida na água bruta do reservatório e auxiliar nas explicações relacionadas ao crescimento e desenvolvimento de Copepoda e Ostracoda. O segundo teste foi conduzido utilizando as espécies N. cearensis e P. schubarti com o objetivo de verificar uma possível competição por recursos. Os resultados demonstraram uma correlação inversa entre as biomassas de Copepoda Calanoida e Ostracoda no reservatório Armando Ribeiro Gonçalves. Dois tipos de crescimento padrão foram observados: Ostracoda, P. schubarti apresenta taxa de crescimento relativamente constante independentemente do tipo de alimento oferecido, enquanto que Copepoda calanoida, N. cearensis, embora demonstre crescimento satisfatório quando alimentado com cianobactérias filamentosas, apresenta preferência por algas verdes. Portanto, os resultados não apoiam a hipótese de competição por alimento entre as espécies, levando em consideração a ampla variação sazonal de N. cearensis e P. schubarti e sua eventual coexistência na coluna d’água. P. schubarti não afeta o crescimento de N. cearensis, e a redução na densidade de N. cearensis ocorre devido a fatores inerentes à incapacidade de sobrevivência desta espécie em elevadas densidades de Ostracoda ou presença de cianobactérias filamentosa. Pode-se inferir que a toxidade de cianobactérias afeta alguns indivíduos da população de N. cearensis and Ceriodaphnia dubia quando alimentados com cianobactérias filamentosas.

Palavras-chave: Zooplâncton, Toxicidade, Semiárido.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v4n2p43-50

Direitos autorais 2014 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.