ESTUDO FITOQUÍMICO, ATIVIDADE MICROBIOLÓGICA E CITOTÓXICA EM Artemia salina LEACH. DAS PARTES AÉREAS DE Petiveria alliacea L. PHYTOLACCACEAE

Darllen Suzanny Barbosa de Oliveira, Ryan da Silva Ramos, Sheylla Susan Moreira da Silva de Almeida

Resumo


Este trabalho teve como objetivo o estudo fitoquímico das partes aéreas de Petiveria alliacea L. (galhos jovens e folhas), avaliação da citotoxicidade (CL50) das folhas realizada frente à Artemia salina L. e atividade antimicrobiana, na qual foram utilizadas cepas de bactérias gram-positiva: Staphylococcus aureus e gram-negativas: Klebsiella pneumoniae e Escherichia coli, e estas submetidas ao extrato bruto metanólico (EBM) das folhas, nas seguintes concentrações: 25, 50 e 100 mg/mL. Foi possível identificar nos galhos jovens de P. alliacea L. a presença de ácidos orgânicos, fenóis e taninos, e nas folhas alcalóides, esteróides e triterpenóides, saponinas, fenóis e taninos, onde as atividades destes metabólitos condizem com algumas alegadas pela população.  O Extrato Bruto Metanólico das folhas apresentou CL50=1709,77µg/mL, sendo então atóxica nas concentrações testadas, visto que para extrato de plantas frente a A. salinasão considerados atóxicos quando CL50>1000µg/mL. A atividade antimicrobiana o Extrato Bruto Metanólico das folhas apresentou inibição apenas para bactéria Escherichia coli na concentração de 100mg/mL, e esta atividade pode estar relacionada com a presença de fenóis e taninos no extrato. Os resultados obtidos tornam a espécie promissora em busca de metabólitos secundários, mas devem ser feitos estudos mais aprofundados para identificação dos principais princípios ativos da mesma.

Palavras-chave: Mucuracaa, Screening fitoquímico, Classe de compostos.



DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n3p76-82

Direitos autorais 2013 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.