REGENERAÇÃO NATURAL EM FORMAÇÕES FLORESTAIS DE UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO, MARACANÃ, PARÁ, BRASIL.

Daniel Gonçalves Jardim, Mário Augusto Gonçalves Jardim, Adriano Costa Quaresma, Salustiano Villar Costa Neto

Resumo


O objetivo da pesquisa foi conhecer a composição florística, a estrutura e as formas de vida da regeneração natural em duas formações florestais da Área de Proteção Ambiental Algodoal-Maiandeua, Maracanã, Pará. Foram delimitadas duas parcelas de 50 x 50 m (0,5 ha) na floresta seca e duas na floresta inundável. Cada parcela foi dividida em 50 subparcelas de 2 x 2 m distribuídas aleatoriamente e identificados e quantificados todos os indivíduos com altura ≥ 5 cm e ≤ 80 cm, calculada a densidade e a frequência relativa e caracterizada as formas de vida das espécies. Na floresta seca foram registrados 1.926 indivíduos em 34 famílias, 59 gêneros e 78 espécies. Fabaceae, Myrtaceae e Rubiaceae se destacaram com o maior número de espécies (9 spp. cada) e Myrcia fallax, Pradosia pedicellata e Psychotria barbiflora com maior número de indivíduos. Na floresta inundável foram registrados 2.663 indivíduos em 28 famílias, 50 gêneros e 55 espécies. As famílias com maior número de espécies foram Araceae, Arecaceae e Fabaceae (6 spp.) e Symphonia globulifera, Virola surinamensis e Macrolobium bifolium com maior número de indivíduos. Os resultados indicaram alta heterogeneidade de espécies entre as duas florestas e a outras florestas das restingas brasileiras.

Palavras-chave: floresta seca, floresta inundável, forma de vida.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n2p79-87

Direitos autorais 2013 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.