DINÂMICA DA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE POPULAÇÕES ARBÓREAS, AO LONGO DE UMA DÉCADA, EM CERRADÃO NA TRANSIÇÃO CERRADO-AMAZÔNIA, MATO GROSSO.

Fernando Elias, Beatriz Schwantes Marimon, Simone Matias de Almeida Reis, Mônica Forsthofer, Letícia Gomes, Paulo Sérgio Morandi, Ben Hur Marimon-Junior

Resumo


As populações de plantas se distribuem naturalmente nas formas agregada, aleatória ou uniforme. Estes padrões podem variar conforme as condições ambientais e ao longo do tempo. O presente estudo teve por objetivo avaliara distribuição espaço-temporal das cinco principais espécies de um cerradão no leste Mato-grossense para verificar se a incidência de fogo e eventos de seca resultam em mudanças e até que ponto tais mudanças são detectáveis nos padrões espaciais destas populações. Os levantamentos foram conduzidos em uma área de cerradão no Parque Municipal do Bacaba, Nova Xavantina-MT, em fevereiro de 2002, 2005, 2008, 2010 e 2012, em 50 parcelas permanentes de 10 x 10 m. Hirtella glandulosa demonstrou resiliência aos distúrbios em relação às demais espécies durante a década de estudo. Tachigali vulgaris e Xylopia aromatica, apesar de apresentarem mudanças na densidade entre os anos, mantiveram o mesmo padrão de distribuição espacial ao longo do tempo. As alterações na estrutura populacional e espacial de Roupala montana e Myrcia splendens podem indicar sensibilidade dessas populações aos distúrbios.

Palavras-chave: densidade, fogo, padrões espaciais, seca.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n3p1-14

Direitos autorais 2013 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.