CONTRIBUIÇÕES ETNOMICOLÓGICAS DOS POVOS INDÍGENAS DA AMAZÔNIA.

Ruby Vargas-Isla, Noemia Kazue Ishikawa, Victor Py-Daniel

Resumo


Na Amazônia brasileira, estudos etnomicológicos a partir das décadas de 60 e 70 relatam o consumo de espécies de cogumelos por grupos indígenas como os Yanomami, Tucano, Nambiquara, Caiabi, Txicão e Txucurramãe. Estudos mais recentes relatam o etnoconhecimento de indígenas Uitoto, Muinane e Andoke da Amazônia colombiana, indígenas Hotï da Amazônia venezuelana, assim como povos rurais e ribeirinhos da Amazônia peruana. Neste trabalho, foram atualizados os nomes científicos dos relatos etnomicológicos compilados, reduzindo assim a confusão e a duplicação de esforços objetivando ajustar o entendimento dos resultados publicados. Para tanto, foram realizadas consultas nos bancos de dados micológicos e trabalhos de taxonomia. Obteve-se uma lista de 34 espécies de macrofungos comestíveis. Até o momento, das espécies relatadas dez espécies foram encontradas na região de Manaus. Os gêneros mais relatados pelos grupos indígenas e ribeirinhos da Amazônia Auricularia, Favolus, Lentinula, Lentinus sensu stricto, Panus e Pleurotus. Estes gêneros apresentam espécies com potencial de cultivo de cogumelos nativos para a região amazônica.

Palavras-chave: congumelos comestíveis, etinobiologia, taxonomia.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n1p58-65

Direitos autorais 2013 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.