ETNOBOTÂNICA DE PLANTAS MEDICINAIS NA REGIÃO DE INTEGRAÇÃO DO RIO TAPAJÓS, COMUNIDADE DO BAIRRO MARIA MAGDALENA, MUNICÍPIO DE ITAITUBA, PARÁ, BRASIL

Sandro Dan Tatagiba, Ismael Sousa Sousa, Anne Evelayna William Oliveira

Resumo


A utilização de plantas medicinais é uma prática comum entre as populações humanas. Dessa forma, o presente trabalho teve por objetivo efetuar o levantamento etnobotânico sobre o conhecimento e uso das plantas na Comunidade do Bairro Maria Magdalena, Município de Itaituba-PA. Foram coletadas informações de 30 informantes, todos moradores locais, selecionados aleatoriamente, por meio de entrevistas semi-estruturadas, observações participantes e visitas guiadas. Para estabelecer a importância relativa das espécies, foi utilizada a porcentagem de concordância de uso principal corrigido (CUPc), a qual, aponta as espécies que têm concordância de uso para uma doença específica, e pode fornecer ao pesquisador indicações de plantas que merecem mais estudos farmacológicos. Foram identificadas 79 espécies de plantas medicinais, pertencentes a 48 famílias. Asteraceae, Fabaceae, Laminaceae, Myrtaceae e Rutaceae foram às famílias mais comuns representadas por quatro espécies cada, seguidas da Amaryllidaceae, Aracaceae, Curcubitaceae e Malvaceae com três espécies, respectivamente. As folhas foram às partes da planta mais utilizadas e o chá da folha o procedimento mais comum usado para preparar medicamentos. As espécies com maiores valores de CUPc foram Chenopodium ambrosioides (Erva-de-Santa- Maria), Melissa officinalis (Erva-cidreira), Mentha spicata (Hortelâ-verde) e Zingiber officinale (Gengibre), com 68, 53, 51,2 e 38,8, respectivamente. Plantas com CUPc maior que 25% foram Caelsapinia ferrea (Jucá), Malva sylvestris (Malva-do-reino), Ruta graviolens (Arruda), Cymbopogon atratus (Capim-santo), Dipteryx odorota (Cumaru) e Plectranthus barbatus (Boldo). Estes resultados confirmam que a comunidade que vive na Região de Integração do Rio Tapajós, utiliza plantas medicinais como principal forma de combate a enfermidades freqüentes.

Palavras-chave: Amazônia, conhecimento tradicional, flora medicinal, prática tradicionais.

Palavras-chave


Amazônia; conhecimento tradicional; flora medicinal; prática tradicionais

Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v9n4p41-49

Direitos autorais 2020 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.