USO DE PRODUTOS FLORESTAIS NÃO MADEIREIROS COMO FÁRMACOS EM COMUNIDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM-PA

Albanita Bentes Macedo, Girlene da Silva Cruz, Letícia da Silva Moreira, Rafael de Aguiar Rodrigues, João Ricardo Vasconcellos Gama, Bruno Rafael Silva de Almeida, Daniele Lima da Costa

Resumo


O objetivo do presente estudo é conhecer o uso de produtos florestais não madeireiros, como fármacos, por comunitários do Assentamento do Ituquí, nas comunidades Lírio dos Vales e Poço Branco, visando contribuir para futuras ações de manejo florestal comunitário não madeireiro. As informações foram obtidas através da aplicação de questionário socioeconômico de caráter semiestruturado. Os resultados obtidos mostraram grande preferência dos comunitários ao uso de recursos naturais produzidos de forma artesanal. Foram citadas 26 espécies na coleta de dados, sendo 21 de origem vegetal e cinco espécies de origem animal. A espécie Hymenaea courbaril L. representa a maior relação de importância para os comunitários. As espécies Carapa guianensis e Copaifera langsdorffii foram as mais citadas pelos comunitários, representando as espécies de uso mais frequente. O nível de conhecimento sobre plantas para fins medicinais mostrou que esse tipo de produto faz parte do cotidiano dos comunitários. O uso de produtos naturais se apresenta como uma solução e alternativa viável aos problemas de saúde.

Palavras-chave: Etnobotânico, comunitários, potencial farmacológico.


Palavras-chave


Etnobotânico, comunitários, potencial farmacológico

Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v9n3p9-12

Direitos autorais 2019 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.