ASPECTOS DA ATIVIDADE DE CAÇA NO ASSENTAMENTO RURAL NOVA CANAÃ, MUNICÍPIO DE PORTO GRANDE, ESTADO DO AMAPÁ

Dayse Swélen Silva Ferreira, Carlos Eduardo Costa Campos, Andrea Soares Araujo

Resumo


Este artigo teve como objetivo apresentar a atividade de caça em um assentamento rural no município de Porto Grande, Estado do Amapá, entre outubro de 2005 a novembro de 2006. A caça foi avaliada por meio de entrevistas abertas e semi-estruturadas, utilizando como ferramenta o formulário e através da observação participante com 17 assentados. No total, foram abatidos 261 mamíferos pertencentes a 17 espécies. Destes, 189 (72,4%) foram abatidos para subsistência (alimentação) e 72 (27,6%) para caça controle. Dentre as espécies registradas, cinco estão listadas como vulneráveis: Myrmecophaga tridactyla, Priodontes maximus, Panthera onca, Puma concolor e Leopardus wiedii. Entre os entrevistados, a caça de espera (12) é a mais praticada, seguida pela caça com cachorros (4) e de trilhas (1). Na caça de espera é comum a captura de Agouti paca, Tayassu pecari, Pecari tajacu, Tapirus terrestris, Mazama americana e M. gouazoupira. O conhecimento da percepção local sobre a utilização da fauna silvestre é fundamental para a tomada de decisão na elaboração de projetos para a conservação e manejo da fauna local, visando tanto a manutenção como a continuidade do acesso a esse recurso natural.

Palavras-chave: Caça, Amazônia Oriental, mamíferos.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v2n1p22-31

Direitos autorais 2012 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.