FREQUÊNCIA E HORÁRIO DE ARRAÇOAMENTO SOBRE O DESEMPENHO DE MACHOS Betta splendens

Elton Lima Santos, Lineker Luna Alves da Silva, Emerson Carlos Soares, Wallace Denisson Santos de Oliveira, Misleni Ricarte de Lima, Jerusa Maria de Oliveira, Ewerton Lima Santos

Resumo


Objetivou-se com esta pesquisa avaliar diferentes frequências e horários de arraçoamento sobre o desempenho e viabilidade econômica de machos de Betta splendens. Foram utilizados 24 machos de Betta splendens, com peso médio inicial de 0,43 g, alojados individualmente em aquários de 1,5 L, com água estática. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com quatro tratamentos, ou seja, diferentes horários e frequências de alimentação (T1 = alimentação as 8h00 e 12h00; T2 = as 8h00 e 17h30; T3 = 8h00, 12h30 e 17h00; e T4 = as 8h00, 11h00, 14h00 e 17h00) e seis repetições. A alimentação consistiu no fornecimento de ração comercial contendo 40% de proteína bruta.  O período experimental foi de 45 dias. As diferentes frequências alimentares não afetaram a sobrevivência. No entanto, o manejo de arraçoamento ofertado em duas vezes por dia, nos horários de 8h00 e 17h00 foi o que apresentou os melhores resultados de desempenho e com o uso de dois arraçoamento diários se obteve a melhor viabilidade econômica.

Palavras chave: nutrição de peixe, manejo alimentar, peixe ornamental, ração comercial.

Palavras-chave


nutrição de peixe; manejo alimentar; peixe ornamental; ração comercial

Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v9n3p30-34

Direitos autorais 2019 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.