ANÁLISE ZOOTÉCNICA DO Pseudoplatystoma spp. (PINTACHARA) SUBMETIDO A TEORES DE PROTEÍNAS DISTINTOS

Cidiane Melo Oliveira, Jairo Ildefonso Guimarães Piñeyro, Raniere Garcez Costa Sousa

Resumo


A presente pesquisa avaliou o desempenho zootécnico do híbrido pintachara (Pseudoplatystoma spp), originado do cruzamento do Pseudoplatystoma corruscans (pintado-fêmea) com o Pseudoplatystoma reticulatum (surubim-macho) submetido a dietas com teores proteicos distintos (28%, 32% e 40% de proteína bruta). O estudo teve duração de 187 dias, ocorridos entre março a setembro de 2016. Para tanto, utilizaram-se 600 indivíduos (peso inicial de ≈ 10 g) divididos aleatoriamente por tratamentos (T1 28% PB, T2 32% PB e T3 40% PB), contendo 200 animais em cada tanque. Quinzenalmente 10% de cada plantel foram submetidos a biometrias, para o monitoramento do peso (g) e comprimento total (cm), paralelamente foram verificados também os parâmetros físico e químicos da água dos viveiros. Os resultados mostraram que não houveram diferenças significativa entre as médias dos parâmetros da água e dos valores finais de peso diário, peso total e fator de condição (K) entre os tratamentos (ANOVA, p > 0,05). Os peixes tratados com a dieta de 28% PB apresentaram os melhores valores de conversão alimentar aparente (CAA = 1,59) e índice de eficiência produtiva (IEP = 2,7), sendo esta, a dieta mais viável economicamente para a produção do pintachara, no atual sistema de produção.

Palavras-chave: Arraçoamento, híbrido, piscicultura, pintado, surubim.


Palavras-chave


Arraçoamento, híbrido, piscicultura, pintado, surubim

Texto completo:

DOWNLOADO DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v8n4p17-20

Direitos autorais 2018 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.