PERFIL SOCIOECONÔMICO DA PISCICULTURA EM PRESIDENTE MÉDICI (RONDÔNIA - BRASIL)

Raniere Garcez Costa Sousa, Jakson Lemes de Assis, Marcos Vinicius Gomes Cozer, Cidiane Melo Oliveira

Resumo


O presente estudo realizou um diagnóstico simplificado da piscicultura no município de Presidente Médici (Estado de Rondônia), visando caracterizar e espacializar essa atividade na região. Para tal, foram realizadas consultas documentais em órgãos governamentais (EMATER-RO, ERGA da SEDAM/RO). Concomitante, entrevistas semi-estruturadas foram empregadas junto a 52 piscicultores locais (dentre um total de 89 registrados). Foram abordados temas relacionados aos fatores socioeconomicos, sistema de produção, comercialização e entraves na cadeia produtiva. Os resultados mostraram que as propriedades e os empreendimentos piscícolas estudados são majoritariamente de pequeno porte (82.7%), e possuem uma área média de lâmina d´água de 2,3 ha (65,4%). Na atividade piscícola é utilizada especialmente a mão-de-obra familiar (88,46%), onde o tambaqui é a espécie mais cultivada (96,2%). A produção é comercializada, na forma “in natura” com o peixe inteiro (91,3%), geralmente no próprio município (56,5%), mas atua também em outros estados (34,8%; Amazonas e Goiás) e municípios vizinhos (30,4%, Ji-Paraná). Os piscicultores apontam o alto custo com a ração (59,6%) o principal entrave para a cadeia produtiva. A piscicultura no município é recente, sendo exercida a menos de 5 anos (73,1%), apresenta um perfil de produção comercial de pequena escala, atuando principalmente no sistema semi-intensivo de produção, na forma de monocultivo.

Palavras-chave: Aquicultura, criação de peixes, caracterização piscícola, propriedades rurais.




DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v9n1p51-55

Direitos autorais 2019 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.