Elaphoglossum lisboae ROSENST. (DRYOPTERIDACEAE, POLYPODIOPSIDA): PRIMEIRO REGISTRO PARA O ESTADO DO PARÁ

Marcos Benigno Silva Martins, Ramon Batista Calliari, Bruno de Cássio da Costa Lima, Jeferson Miranda Costa, Marcio Roberto Pietrobom

Resumo


Elaphoglossum Schott ex J. Sm. apresenta distribuição Pantropical, abrangendo cerca de 600 espécies. No Brasil, o gênero apresenta maior diversidade na Mata Atlântica, sendo relativamente pouco representado na Amazônia. Entretanto, estudos sobre a pteridoflora amazônica vêm ampliando o número de espécies para esta região. Neste contexto, este estudo tem por objetivo fazer o primeiro registro de Elaphoglossum lisboae Rosenst. para o Estado do Pará. Os dados obtidos provêm de uma exsicata depositada no herbário BHCB, onde a mesma foi analisada com base nas principais literaturas e comparado com material adicional proveniente do herbário RB. Até o presente momento, E. lisboae tinha sido registrada apenas para o Estado de Goiás.

Palavra-chave: Floresta Amazônica. Pteridoflora. Taxonomia.


Palavras-chave


Floresta Amazônica. Herbário. Pteridoflora. Taxonomia.

Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


Direitos autorais 2019 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.