DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DA ÁGUA EM ÁREAS UTILIZADAS PELA BUBALINOCULTURA NO BAIXO ARAGUARI, AMAPÁ, BRASIL

Natalina Borges da Silva, Jéssica Oliveira Lopes, José Dinaldo de Miranda Brito, Sérgio Kleber dos Santos, Luís Roberto Takiyama, Ana Elisa Alvim Dias Montagner, Elane Domênica Cunha de Oliveira

Resumo


A bacia do rio Araguari presencia há muitos anos a exploração de búfalos, atividade que pode potencializar o processo de erosão do solo, produzindo modificações das drenagens naturais e alterando o regime hidrodinâmico das bacias secundárias. Este estudo se propôs a avaliar a qualidade da água em duas fazendas com bubalinocultura situadas em canais do rio Araguari, e também no leito do rio Araguari, como ponto controle. As amostragens foram realizadas em dois períodos sazonais, isto é, em diferentes situações de inundação. Em cada ponto de coleta foram efetuadas medições in situ, bem como a coleta de água para determinação em laboratório de fatores físico-químicos (sólidos suspensos, nitrato, nitrito e fósforo total) e bióticos (clorofila-a, coliformes totais, coliformes termotolerantes e densidade do fitoplâncton). Foi possível observar que apenas os parâmetros fósforo, sólidos suspensos e coliformes estiveram acima do permitido na legislação nos pontos mais internos dos canais e no período seco. Portanto, concluímos que a queda na qualidade da água ocorre apenas no período seco, e é agravada pela maior concentração desses animais, especialmente nos canais. Porém, não podemos atribuir aos búfalos a culpa exclusiva pela deterioração do Araguari no período seco, pois esse fenômeno ocorre devido a diminuição da sua vazão e por várias razões como a evolução natural do rio Araguari, o despejo de esgotos das cidades, a construção/operação de hidroelétricas, extração mineral, entre outros, e já foi relatado em estudos anteriores, inclusive em áreas sem bubalinocultura.

Palavras-chave: Áreas inundáveis, Búfalos, Fitoplâncton, IET, Implicações ambientais.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v8n1p22-28

Direitos autorais 2018 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.