A PESCA ARTESANAL NO LAGO MAICÁ: ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E ESTRUTURA OPERACIONAL

Elizabete de Matos Vaz, Diego Maia Zacardi, Yohanna Gabriely Sousa Rabelo, Jerry Max Sanches Corrêa

Resumo


Este trabalho teve como objetivo caracterizar a pesca e os aspectos socioeconômicos dos pescadores nas comunidades Maicá e Pérola do Maicá, localizadas em Santarém-PA. A coleta foi realizada por meio da aplicação de 50 formulários semiestruturados, durante o período de maio a dezembro de 2015. Os resultados mostraram que a maioria dos pescadores é do sexo masculino, com idade média de 51,6 anos (± 13,41 anos), possuindo o ensino fundamental incompleto e mais de 30 anos (± 15,15 anos) de atividade. A canoa motorizada foi a embarcação mais citada para as pescarias e o principal apetrecho utilizado é a malhadeira. A renda média mensal obtida com a pesca é equivalente a 53% de um salário mínimo, sendo o pacu o principal recurso pesqueiro capturado. A diminuição dos estoques naturais, a utilização de apetrechos ilegais e os conflitos por área de pesca foram as principais problemáticas registradas pelos pescadores da região. Ressalta-se que a pesca artesanal praticada ao longo do Lago Maicá é a principal atividade econômica da localidade e a falta de uma gestão eficaz da atividade pode afetar a vida social e cultural das populações que dela dependem. Portanto, estes resultados podem subsidiar a elaboração de políticas de investimento e medidas adequadas de manejo para melhoria da atividade pesqueira.

Palavras-chave: Perfil socioeconômico, pesca artesanal, várzea, Baixo Amazonas.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v7n4p6-12

Direitos autorais 2018 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.