RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO E FATOR DE CONDIÇÃO DA PESCADA BRANCA (Plagioscion squamosissimus, HECKEL 1840) COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM, PARÁ, BRASIL

Ericleya Mota Marinho Lima, Keid Nolan Silva Sousa, Paulo Roberto Brasil Santos, Luiz Augusto Rodrigues Ferreira, Andréia Ferreira Rodrigues, Andréa dos Santos Pantoja

Resumo


A pesca é uma das atividades produtivas mais importantes na Amazônia. No Baixo Amazonas, a espécie Plagioscion squamosissimus popularmente conhecida como pescada branca é uma das principais espécies comerciais. O objetivou deste estudo foi determinar a relação peso-comprimento e o fator de condição da pescada branca desembarcada na Feira do Pescado em Santarém-PA. Para a obtenção de dados foram realizadas amostragens de exemplares da espécie na Feira, entre agosto de 2014 e julho de 2015.  Foram amostrados 352 exemplares. O comprimento médio e peso médio dos indivíduos analisados corresponderam a 26,83 ± 2,64 cm e 234,87 ± 77,60 g, respectivamente. Foram obtidas as equações Wt= 0,0382*Lt2,648 e Wt= 0,1424*Lt2,235 da relação peso-comprimento para fêmeas e machos, respectivamente. O valor de b da relação peso-comprimento foi < 3 e desta forma, o crescimento da espécie pode ser considerado alométrico negativo para ambos os sexos. A variação anual do fator de condição sugere que o acúmulo de gordura ocorre no período de seca/enchente. Essas estimativas são de grande utilidade para o manejo dos estoques da pescada branca e podem prover subsídios para tomada de decisão, visando a conservação e utilização racional deste recurso pesqueiro.

Palavras-chave: desembarque pesqueiro, estimativas biológicas, gestão pesqueira. 


Texto completo:

DOWLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v7n2p44-48

Direitos autorais 2017 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.