MORTALIDADE DE JUVENIS DE Arapaima gigas (PISCES: ARAPAIMIDAE) DE PISCICULTURA DO NORTE DO BRASIL, CAUSADAS POR Hysterothylacium sp. E Goezia spinulosa (NEMATODA: ANISAKIDAE)

Patrizia Batista de Azevedo, Germán Augusto Murrieta Morey, José Celso de Oliveira Malta

Resumo


Em juvenis Arapaima gigas o risco de infecções parasitarias é muito alto, por alimentarem-se de pequenos invertebrados, os quais atuam como hospedeiros intermediários de diferentes espécies endoparasitos, podendo causar sérios problemas e altas mortalidades nesses peixes cultivados. O objetivo do presente estudo foi identificar as espécies que parasitam juvenis de A. gigas em cativeiro município de Manacapuru no estado do Amazonas e avaliar a influência dessas na mortalidade dos peixes. Foram examinados 66 juvenis de A. gigas e não se registrou nenhum parasito nas brânquias dos hospedeiros. O intestino e estômago dos peixes estavam parasitados por larvas L3 de Hysterothylacium sp. e larvas L4 de Goezia spinulosa. Os índices parasitários foram elevados para as duas espécies, sendo registrada para Hysterothylacium sp. os maiores índices de infecção. Foi observada uma correlação positiva fraca entre o comprimento dos hospedeiros e a abundância de Hysterothylacium sp. As lesões registradas no estômago e intestino dos peixes, juntamente com os elevados índices parasitários registrados para Hysterothylacium sp. e Goezia spinulosa, levam a suspeitar que a morte dos peixes foi por complicações e danos causados pela presença destes parasitas.

Palavras-chave: Amazônia, morte, nematóides, pirarucu.

Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v7n1p103-107

Direitos autorais 2017 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.