FITOSSOCIOLOGIA DE UMA FLORESTA DE TERRA FIRME NA AMAZÔNIA SUL-OCIDENTAL, RONDÔNIA, BRASIL

Ricardo Teixeira Andrade, Susamar Pansini, Adeilza Felipe Sampaio, Maíra Silva Ribeiro, Guilherme Sampaio Cabral, Ângelo Gilberto Manzatto

Resumo


Este artigo reporta a florística e fitossociologia de 30 parcelas de 1 ha em uma floresta de Terra Firme na Amazônia Sul-Ocidental, inseridos em uma grade PPBio de 25km² e considerando-se indivíduos de DAP ≥ 1cm. Foram registrados 10679 indivíduos, sendo 89,1% árvores e 10,9% palmeiras, referentes a 196 táxons, dos quais 176 foram identificados em nível específico, distribuídos em 47 famílias e 136 gêneros. Quanto ao Índice de Valor de Importância Familiar (IVIF), os maiores valores foram apresentados pelas famílias Chrysobalanaceae, Arecaceae, Fabaceae, Rubiaceae, Lecythidaceae e Burseraceae. Em termos de riqueza de espécies, as famílias mais representativas foram Fabaceae, Arecaceae, Moraceae, Rubiaceae, Melastomataceae e Urticaceae, representando 42% da riqueza local. Os índices de diversidade de Shanon-Weaver (H’ = 3,81) e de similaridade florística calculada pelo índice de Sorensen (variando de 6 a 81%) indicam que a floresta não é muito diversificada, considerando-se o bioma amazônico, mas ainda assim com alta variabilidade da composição de espécies entre as parcelas.

Palavras-chave: Fitossociologia, biodiversidade, ESEC Cuniã, PPBio, Amazônia Sul-Ocidental.      


Texto completo:

DOWLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v7n2p36-43

Direitos autorais 2017 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.