ESTRUTURA GENÉTICA DE DUAS POPULAÇÕES NATURAIS DE Bertholletia excelsa BONPL. SOB EXPLORAÇÃO NO VALE DO RIO ACRE

Raifanny da Silva Oliveira dos Santos, Tatiana Campos, Karina Martins, Lúcia Helena de Oliveira Wadt

Resumo


Com a crescente redução das florestas nativas, a sobrevivência e a manutenção das espécies arbóreas dependem de estratégias adequadas de manejo sustentável. Para que essas estratégias sejam efetivas é essencial que estejam embasadas em conhecimentos ecológicos, fisiológicos e genéticos da espécie manejada. Bertholletia excelsa é uma espécie modelo para o desenvolvimento sustentável em florestas tropicais. A produção extrativista abastece quase todo o mercado nacional e internacional e é fonte de renda de milhares de famílias na Amazônia. No entanto, poucos estudos têm registrado aspectos genéticos de populações exploradas. O presente estudo foi realizado com o objetivo de avaliar a estrutura genética de duas populações exploradas de Bertholletia excelsa do vale do Rio Acre. Foram analisados 11 locos microssatélites em adultos e regenerantes. A diversidade gênica (HE) variou de 0,531 a 0,585 e não foi diferente entre as gerações. Os índices de fixação não diferiram significativamente de zero. A divergência genética foi baixa entre os adultos (θ= 0,026) e relativamente maior entre os regenerantes (θ= 0,070). Os resultados mostram que não há indícios de que a coleta de frutos e sementes tem influenciado negativamente a diversidade genética destas populações.

Palavras-chaves: Estrutura genética, populações naturais, castanheira, microssatélites.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v7n3p37-40

Direitos autorais 2017 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.