CARACTERIZAÇÃO TOPOGRÁFICA DO HABITAT DO Cardisoma guanhumi LATREILLE, 1828 (DECAPODA, GECARCINIDAE) NA APA COSTA DOS CORAIS (PERNAMBUCO E ALAGOAS, BRASIL)

Maria do Carmo Ferrão SANTOS, Emanuel Roberto de Oliveira Botelho, Israel Hidenburgo Aniceto Cintra, Aline do Vale Barreto, Kátia Cristina de Araújo SILVA

Resumo


No período de julho a setembro de 2012, foi realizado um levantamento do número de tocas de Cardisoma guanhumi, em doze perfis localizados perpendicularmente no manguezal do rio Una (Pernambuco) e do rio Camaragibe (Alagoas), objetivando adquirir informações sobre a distribuição das tocas, em diferentes tipos de topografias. Foram registradas a profundidade das tocas, temperatura e salinidade da água na parte inferior das tocas. Em Pernambuco e Alagoas, os perfis abrangeram áreas íngremes (com declive de 4,5°) a suaves (declive de 0,02°). A distância máxima das tocas existentes nos perfis variou entre 58m e 359,5m, em relação a um referencial de nível (RN). As profundidades das tocas variaram de 0,45m a 1,90m, com média de 0,99m (DP = 0,29). A profundidade máxima, das tocas pode ser justificado pelo fato de haver menor disponibilidade de água em solos nordestinos. É recomendável, nos manguezais estudados, a implantação de uma área de exclusão para se preservar o habitat do Cardisoma guanhumi, numa distância de pelo menos 200m, acima da marca de preamar.

Palavras-chave: guaiamum, manguezal, tocas.


Texto completo:

DOWLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n3p102-107

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.