ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA E AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO MICELIAL E ESPORULAÇÃO EM DIFERENTES MEIOS DE CULTURA DE CEPAS DO FUNGO Quambalaria sp.

Ediellen Mayara Corrêa Gomes, Rosângela da Conceição Marques Pena

Resumo


A caracterização de microrganismos é estratégica para a proteção de plantas. Assim, objetivou-se analisar as características morfológicas e avaliar o crescimento micelial e esporulação em diferentes meios de cultura do fungo Quambalaria sp. A caracterização morfológica foi realizada com base na cor, tipo da colônia, tipo e tamanho de esporos, sendo utilizadas chaves taxonômicas e literaturas especializadas para descrição e identificação das estruturas fúngicas. Para a avaliação do crescimento micelial e esporulação foram utilizados os meios de cultivo batata-dextrose-ágar (BDA), verdura-ágar (V8-ágar) e aveia-ágar (AO). Foram obtidos dois isolados denominados Q1 e Q2 que apresentaram diferentes tipos de colônias e crescimento micelial, sendo os esporos de ambos caracterizados como hialinos, diminutos com formato obovóide a fusiforme e suas hifas septadas. Constatou-se uma relação linear entre a esporulação e o crescimento micelial, ou seja, quanto maior foi a esporulação maior foi o crescimento micelial. O meio de cultura V8-ágar foi o que mais estimulou o crescimento micelial e esporulação do isolado Q1 e o meio BDA o do isolado Q2, apresentando o IVCM de 11,07 e 10,57 mm.dia-1, respectivamente. Os resultados deste estudo nos permitem embasar o início de um estudo a respeito do gênero Quambalaria, na região norte do Brasil e somar aos poucos trabalhos relatados acerca deste patossistema.

Palavras–chave: mancha-foliar, eucalipto, fitopatógeno, patologia florestal.


Texto completo:

DOWLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n4p59-63

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.