ESPÉCIES FIBROSAS EM MERCADOS DO DISTRITO FLORESTAL SUSTENTÁVEL DA BR-163

Ronize da Silva Santos, Márlia Coelho-Ferreira, Pedro Glécio Costa Lima

Resumo


Este trabalho objetivou registrar as espécies fibrosas utilizadas na confecção de artesanato comercializado em mercados e feiras livres de municípios localizados no DFS da BR163, bem como identificar e caracterizar a cadeia produtiva do principal recurso vegetal desta categoria na região. A pesquisa envolveu entrevistas semi-estruturadas junto a 20 feirantes e, para a caracterização da cadeia produtiva do cipó-titica, principal produto de origem fibrosa explorado localmente, foram aplicadas as técnicas de entrevistas semi-estruturadas e informais junto a três moradores da comunidade Cristo Rei, além da observação direta. Nos mercados foram identificadas sete etnoespécies, distribuídas em quatro famílias botânicas: Arecaceae, Araceae, Marantaceae e Cyclantaceae, com destaque para o cipó-titica por ter recebido o maior número de citações (18). Doze produtos confeccionados com fibras foram registrados. A comercialização do cipó-titica em Cristo Rei se dá enquanto matéria-prima bruta e beneficiada em forma de vassouras. Uma é destinada a compradores externos à comunidade e outra se destina ao público do mercado de Itaituba. O comércio de produtos fibrosos representa uma parte dos ingressos na renda familiar rural, mas seu aproveitamento requer melhores técnicas para o manejo e conservação das espécies utilizadas.

Palavras-chave: Amazônia, comunidades rurais, distrito florestal, mercados públicos, produtos florestais não madeireiros.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n2p101-109

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.