MORFOLOGIA DO TUBO DIGESTIVO DA PESCADA AMARELA Cynoscion acoupa (LACEPÈDE, 1801) (PERCIFORMES: SCIAENIDAE) NO LITORAL PIAUIENSE, BRASIL

Francisca Edna Andrade Cunha, Rita Cássia Aquino Rodrigues

Resumo


Os objetivos deste trabalho foi descrever a estrutura anatômica do tubo digestivo, relacionando-o ao hábito alimentar da Pescada amarela, Cynoscion acoupa (Lacepède, 1801), capturadas no litoral do Piauí, no período de julho de 2013 a janeiro de 2014. Foram analisados 68 exemplares, com comprimento total variando entre 25 a 70 cm e média de 44,66, enquanto o peso corporal variou entre 2,5 a 11,7 kg e média de 6,4. Os tubos digestivos mostraram adaptações anatômicas ao hábito alimentar carnívoro. Os estômagos apresentaram forma cecal, em Y, com as regiões gástricas (cárdica, fúndica e pilórica bem definida; mucosa interna revestida por pregas distensíveis) separadas por profundos sulcos. O esôfago é curto. A região cárdica é a maior do estômago. As pregas da mucosa apresentam-se consideravelmente distensíveis para recepção e condução do alimento pelo esôfago e armazenamento pelo estômago. O intestino é relativamente curto, com coeficiente intestinal de 0,99 dividindo-se em intestino médio e reto, com a presença de valva ileorretal entre eles. O esfíncter pilórico regula o fluxo do alimento para o intestino médio. Os cecos pilóricos, formados por quatro apêndices com função de ampliação da área de absorção intestinal. A morfologia do tubo digestivo de C. acoupa condiz com o seu hábito alimentar carnívoro, ictiófago.

Palavras-chave: Aspectos morfológicos, Tubo digestivo, Anatomia, hábito alimentar carnívoro.


Texto completo:

DOWLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n4p32-37

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.