FATORES EDÁFICOS E AS VARIAÇÕES FLORÍSTICAS DA REGENERAÇÃO NATURAL EM DUAS FORMAÇÕES FLORESTAIS

Daniel Gonçalves Jardim, Mário Augusto Gonçalves Jardim, Adriano Costa Quaresma, Salustiano Villar Costa Neto

Resumo


Os ecossistemas litorâneos são influenciados pelas características do solo que junto com a disponibilidade de nutrientes atuam como fator determinante da composição florística e da estrutura de uma comunidade vegetal. Com o objetivo de verificar a correlação entre os fatores edáficos e a composição de espécies em duas formações florestais da Área de Proteção Ambiental Algodoal-Maiandeua, Maracanã, Pará, foram delimitadas três parcelas de 50 x 50 m (0,75 ha) na floresta de restinga seca e duas (0,50 ha) na floresta inundável. Cada parcela foi dividida em 50 subparcelas de 2 x 2 m distribuídas aleatoriamente e foram identificados e quantificados todos os indivíduos com altura ≥ 5 cm e ≤ 80 cm, calculada a densidade relativa e coletadas 5 amostras simples de solo por parcela. Para relacionar os gradientes ao componente edáfico foi realizada a análise de correspondência canônica (CCA). Na floresta de restinga seca a CCA mostrou maior correlação entre Myrcia fallax, Pradosia pedicellata, Protium heptaphyllum e Parkia pendula com Fe, P, Cu, Ca, K e MO e na floresta inundável Symphonia globulifera e Virola surinamensis tiveram alta relação com CaCl2, KCl, H2O, Zn e N. Foi constatada a separação das espécies mais bem representadas nas duas florestas e respectivos nutrientes do solo.

Palavras-chave: Floresta de restinga seca, floresta inundável, nutrientes no solo.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n2p66-72

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.