DESENVOLVIMENTO ONTOGENÉTICO INICIAL DE Prochilodus brevis (STEINDACHNER, 1875) (CHARACIFORMES)

Divana Eliva Oliveira Alves, Maria de Fátima Macedo da Silva, Wagner Franco Molina, Simone Almeida Gavilan Leandro da Costa, Renata Swany Soares do Nascimento

Resumo


O estudo analisou o desenvolvimento embrionário do curimatã Prochilodus brevis, espécie endêmica do nordeste brasileiro, pertencente à família Prochilodontidae (Characiformes). Os embriões foram obtidos da Estação de Piscicultura Estevão de Oliveira (DNOCS - Caicó, RN, Brasil). Após inseminação artificial dos reprodutores, foram realizadas coletas dos embriões, em intervalos de uma hora até a eclosão dos alevinos. As amostras foram fixadas em formol a 10%, a partir do qual os embriões foram analisados quanto aos padrões morfológicos externos, bem como em líquido Bouin por 12 horas, para análises histológicas. Os ovos de P. brevis são esféricos, transparentes e não adesivos. O período embrionário da espécie foi definido pelas fases de zigoto, clivagem, mórula, blástula, gástrula, organogênese, eclosão e larva, descritos por quatorze horas à temperatura de 28ºC. Os padrões morfo-embrionários identificados se mostram similares aos de outras espécies de peixes teleósteos, no entanto, com variações relacionadas à cronologia de cada fase. A caracterização do desenvolvimento embrionário de P. brevis, proveu informações úteis no estabelecimento e adequação das condições de cultivo.

Palavras-chave: Embriogênese, reprodução, aquicultura, biologia do desenvolvimento, curimatã.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n1p70-75

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.