MODELAGEM E PREVISÃO DE VAZÃO AFLUENTE MÉDIA MENSAL NO RIO TOCANTINS, USINA HIDRELÉTRICA TUCURUÍ-PARÁ, AMAZÔNIA, BRASIL

Paulo Guilherme Pinheiro dos Santos, Terezinha Ferreira de Oliveira

Resumo


As hidrelétricas localizadas na Amazônia têm extrema importância em diversas questões (ambientais, sociais, econômicas) devido aos seus impactos. Este estudo descreve e modela a série temporal de médias mensais da variável vazão afluente utilizando modelos estocásticos do grupo SARIMA (autorregressivo integrado de médias móveis com a característica sazonal da série). Os dados foram coletados no período de agosto de 2002 a agosto de 2012 na Usina Hidrelétrica de Tucuruí, Pará, Amazônia Oriental. Diversos modelos SARIMA foram candidatos para descrever os dados. O critério de informação de Akaike (AIC) e medidas de qualidade do ajuste foram usadas para escolher o modelo mais parcimonioso. O modelo escolhido para a série de vazão afluente foi o SARIMA (0,0,2) (1,2,2)12, o qual se ajustou a série observada com coeficiente de Nash-Sutcliffe (CNS) igual a 0,9150. Esse método, construído somente com dados da própria série observada, teve grande poder de modelagem e previsão.

Palavras-chave: Hidrologia, modelos estocásticos, sazonalidade, SARIMA.

Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n2p9-16

Direitos autorais 2016 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.