INFLUÊNCIA DO TRANSPORTE NA RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO E FATOR DE CONDIÇÃO DE Paracheirodon axelrodi (CHARACIDAE)

Jefferson Raphael Gonzaga Lemos, Adriano Teixeira Oliveira, Marcio Quara Carvalho Santos, Carmel Nascimento Pereira, Rebeca Brandão Nascimento, Marcos Tavares-Dias

Resumo


Foi comparada a relação peso-comprimento (RPC) e fator de condição relativo (Kn) de Paracheirodon axelrodi de habitat natural após sua captura e transporte, simulando fielmente algumas etapas do processo de extração de peixes ornamentais amazônicos. Os peixes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: habitat natural (pré-transporte) e após a captura e transporte (pós-transporte). Em cada grupo foram medidos a massa corporal (Wt) e comprimentou total (Lt) para determinação da RPC e Kn em diferentes faixas de tamanho.A RPC do grupo pré-transporte foi Wt = 0,014Lt2,528 (r2 = 0,966) e grupo pós-transporte foi Wt = 0,010 Lt2,848 (r2 = 0,956). Ambos os grupos apresentaram alometria negativa e houve diferença entre o valor de b entre grupos estudados. As médias do peso real dos peixes e Kn foram menores no grupo pós-transporte. Os resultados demonstram que o pós-transporte é uma etapa crítica na cadeia extrativista de P. axelrodi devido às baixas condições corporais dos peixes indicada pela RPC e Kn. Portanto, indicam a necessidade melhoria das técnicas de manejo na cadeia de extração desse peixe ornamental amazônico.

Palavras-chave: Crescimento alométrico, cardinal, peixe ornamental, estresse, transporte.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v5n4p22-26

Direitos autorais 2015 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.