CLUSIACEAE LINDL. E HYPERICACEAE JUSS. NAS RESTINGAS DO ESTADO DO PARÁ, AMAZÔNIA ORIENTAL, BRASIL

Thiago Teixeira de Oliveira, Francismeire Bonadeu, João Ubiratan Moreira dos Santos, Ely Simone Cajueiro Gurgel, Maria de Nazaré do Carmo Bastos

Resumo


O estudo teve como objetivo o tratamento florístico-taxonômico de Clusiaceae e Hypericaceae para as restingas do Estado do Pará. O material foi obtido nos acervos dos Herbários do Museu Paraense Emílio Goeldi (MG), Embrapa Amazônia Oriental (IAN) e coletas realizadas na praia do Crispim, Marapanim-PA. As descrições das espécies foram fundamentadas nas características morfológicas e em suas respectivas variações para a flora, foi elaborada uma chave para identificação das mesmas. As famílias encontram-se representadas por quatro táxons, onde Clusiaceae é composta por Clusia fockeana Miq., C. hoffmannseggiana Schltdl., e C. panapanari (Aubl.) Choisy., e Hypericaceae apenas por Vismia guianensis (Aubl.) Choisy. C. panapanari apresenta-se restrita à formação de mata de restinga. C. hoffmannseggiana e V. guianensis apresentaram distribuição mais ampla nas restingas paraenses. No levantamento feito na coleção nos herbários, constatou-se que coletas, das famílias nas restingas paraenses, ainda são escassas e o esforço de coletas poderá trazer mais informações sobre período de floração e frutificação, além de um provável incremento de novos registros para a área de estudo.

Palavras-chave: Cebola brava, Litoral paraense, Taxonomia.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v5n4p15-21

Direitos autorais 2015 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.