FLORÍSTICA E ECOLOGIA DE SAMAMBAIAS E LICÓFITAS COMO INDICADORES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL

Camila de Cássia Travassos, Mario Augusto Gonçalves Jardim, Sebastião Maciel

Resumo


O objetivo da pesquisa foi caracterizar a diversidade florística e os padrões ecológicos de samambaias e licófitas do Parque Ecológico Gunnar Vingren como elementos indicadores a conservação ambiental. Foi analisada a composição florística e os padrões ecológicos pela forma de vida, tipo de substrato e habitat. Foram registradas 12 famílias, 22 gêneros e 28 espécies, sendo Palhinhaea cernua (L.) Franco & Vasc., a única representante das licófitas. Pteridaceae, Dryopteridaceae e Polypodiaceae apresentaram o maior número de espécies e Thelypteris Schmidel, Elaphoglossum Schott ex J. Sm, Didymoglossum Desv. e Microgramma C. Presl com mais espécies. A forma de vida epífita foi dominante em 46,5% das espécies; o tipo de substrato mais comum foi o corticícola com 46,5% e a floresta de várzea registrou 32% do total das espécies. A composição de espécies exclusivas em determinado habitat contribuiu como indicativo do grau de conservação e perturbação no ambiente, portanto, necessários para o planejamento ambiental do Parque.

Palavras-chave: epífitas, parque urbano, ecossistemas amazônicos.


Texto completo:

DOWNLOAD DO ARQUIVO (PDF)


DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v4n4p40-44

Direitos autorais 2014 Biota Amazônia (Biote Amazonie, Biota Amazonia, Amazonian Biota)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.